Fonte: Biblioteca Digital de Literaturas de Língua Portuguesa

LITERATURA BRASILEIRA

Textos literários em meio eletrônico

Arte de Trovar


Texto fonte:
Arte de Trovar. Org. de Giuseppe Tavanni. Lisboa: Edições Colibri, 1999.

ARTE DE TROVAR

Capitolo quarto

E porque algũas cantigas i há en que balam eles e elas outrossi, per én é bem de entenderdes se som d’amor, se d'amigo: porque sabede que, se eles falam na primeira cobra e elas na outra. é d'amor, porque se move a razon d'eIe (como vos ante dissermos); e se elas falam na primeira cobra, é outrossi d'amigo; e se ambos falam en ũa cobra, outrossim é segundo qual deles fala na cobra primeiro.

Capitolo quinto

Cantigas d'escarneo som aquelas que os trobadores fazen querendo dizer mal d'alguen en elas, e dizen-lho per palavras cubertas que hajan dous entendimentos, pera lhe-lo non entenderen... ligeiramente: e estas palavras chamam os clerigos "hequivocatio". E estas cantigas se podem fazer outrossi de mestria ou de refram.

E pero que alguns dizen que há i algũas cantigas de "joguete d'arteiro", estas non son mais ca d'escarnho, nem ham outro entendimento. Pero er dizem que outras há i "de risabeIha": estas ou serám d'escarnho ou de maldizer; e chamam-lhes assi porque riim ende a vezes os homens, mais nom som cousas em que sabedoria nem outro bem haja.

Capitolo sexto

Cantigas de maldizer son aquelas que fazem os trobadores contra alguém dcscubertamcnte: em elas entrarám palavras em que queren dizer mal e nom averám outro entendimento se nom aquel que querem dizer chaamente. E outrossi a todas fazen dizer.

Capitolo septimo

Outras cantigas fazem os trobadores que chamam tenções, porque son feitas per maneiras de razom que um haja contra outro, en que el diga aquelo que por bem tever na primeira cobra, e o outro responda-lhe na outra dizendo o contrairo.

Estas se podem fazer d'amor ou d'amigo ou d'escarnho ou de maldizer, pero que devem de ser de mestria. E destas poden fazer quantas cobras quiserem, fazendo por cada ũa a sua par. Se i ouver d'aver finda, fazem ambos senhas, ou duas duas, ca nom convem de fazer cada um mais cobras nen mais findas que o outro.

Capitolo outavo

Outrossi outras cantigas fazem os trobadores, a que cha­mam "de vilãos". Estas cantigas sem mao lenguage: nam son per al trobas, porque elas nom escarniom nem falam mal como outras cantigas; podem as fazer de quantos talhos quiserem.

Capitolo nono

Outra maneira há i en que troban dous homens a que chamam "seguir"; e chamam-lhe assi porque convem de seguir cada um outra cantiga a som ou en palavras ou em todo. E este "seguir" se pode fazer em tres maneiras: a ũa, filha-se o som d'outra cantiga e fazem-lhe outras palavras tam iguaes come as outras, pera poder em elas caber aquel som mesmo. E este seguir é de menos em sabedoria, porque nam toman nada das palavras da cantiga que segue.

Outra maneira i há de "seguir" a que chamam "palavra por palavra": e porque convem o que esta maneira quiser seguir que faça a cantiga nas rimas da outra cantiga que segue, e sejam iguaes e de tantas silabas ũas come as outras, pera poderem caber em aquele som mesmo.

E outra maneira i há de "seguir" em que non seguem as palavras. Estas cantigas fazen-as das outras rimas, iguaes daquelas pera poderem caber no som; mais outras daquela cantiga que seguem as devem de tomar, outras mecer, e fazerem-lhe dar aquel entendimento mesmo per outra maneira. E pera maior sabedoria podem-lhe dar aquele mesmo ou outro entendimento per aquelas palavras mesmas: assi é a melhor maneira de seguir, porque dá ao refram outro entendimento per aquelas palavras mesmas, e tragem as palavras da cobra a con­cordarem com el.

O quarto capitolo en que contem seis capitolos

Capitolo primeiro

Os talhos das cantigas cuidam os trobadores em fazer eguaes e de quantas maneiras quiserem e teveren por bem. Pero os mais dos talhos en que fazen as cantigas de mestria sam estas: a cobra de cinque palavras. Pero quem a quiser fazer — atanto que seja igual e come estas — pode meter em essa avondo ou alongand'assi ũas outras, que seja guisa de tantas silabas com'én quis na outra. Mas quantas outras cantigas há em que estas palavras podem seguir de mais silabas que as de cima, pero que todas devam seguir iguaes. Mais en todo jamais da cobra quiserem fazer iguaes, pero as maneiras devem ser as de ir todas com'em os das outras cantigas: devem põer rimadas e iguaes, porque d'outra guisa non poderiam caber no som que bem fosse.

E os trobadores podem fazer as cantigas ou de quatro ou de seis ou de oito ou de mais, se quiserem. Mais estes som os talhos mesm'os melhores, pera ser mais a rezom e nom fazer enfadarem os homens. E estas cobras poderám fazer de

quaes talhos quiserem, como vos ja disse, por quantas que forem. E as cobras devem de ser todas tres em una rima ou senhas senhas. E se fazem de quatro ou de mais, podem ser en ũa rima.

Capitolo segundo

Porque alguns trobadores, pera mostrarem moor mestria, meterom, en sas cantigas que fezeron, una palavra que nom rimasse com as outras, e chamam-lhe "palavra perduda". E esta palavra pode meter o trobador no começo ou no meio, ou na cima da cobra, em qual logar quiser. Pero que, se a meter em ũa cobra, deve-a meter nas outras, en cada ũa delas en aquel lugar. E esta palavra deve de ser de moor mestria: ou er pode meter senhas palavras en cada cobra, que rimem ũas outras, ou, se er quiser, en cada cobra de senhas rimas. E outrosi poden meter na cobra palavra perduda duas vezes per esta maneira.


Capitolo terceiro

Outrosi fezerom os trobadores algunas cantigas a que desinarom "ateudas", e estas podem ser tam bem de mestria come de refram. E chamarom-lhe "ateudas" porque convem que a prestomeira palavra da cobra nom acabe a razom per fins, mais tem a primeira palavra da outra cobra que vem apos ela de entendimento e fará conclusom. E toda a cantiga assi deve de ir ata a finda, e ali deve d'ensarrar e concludir o enten­dimento todo do que ante nom acabou nas cobras.

Capitolo quarto

As findas som cousa que os trobadores sempre usaron de poer en acabamento de sas cantigas pera concludirem e acaba­rem melhor em elas as razones que disserom nas cantigas, chamando-lhis "finda" porque quer tanto dizer come aca­bamento de razom.

E esta finda podem fazer de ũa ou de duas ou de tres ou de quatro palavras. E se for a cantiga de mestria, deve a finda rimar
com a prestumeira cobra; e se for de refram, deve de rimar com o refram. E como quer que diga que a cantiga deve d'aver una d’elas, e taes i houve que lhe fezerom duas ou tres, segundo sa vontade de cada un deles. E taes i houve que as fezerom sem findas, pero a finda é mais comprimento.

Capitolo quinto

Outrosi vos queremos mostrar que quer ser "dobre". Dobre é dizer ũa palavra cada cobra duas vezes ou mais, mais deven-o meter na cantiga mui gardadamentei: e convem, como a meterem en ũa das cobras, que assi o metam nas outras todas. E se aquel dobre que meterem na ũa meterem nas outras, podem­-no ir meter en outras palavras, pero sempre naquel talho e daquela maneira que o meterem na primeira. E outrossi o devem de meter na finda per aquela maneira.


Capitolo sexto

"Mozdobre" é tanto come dobre quanto é no entendimento das palavras, mas as palavras desvairam-se, porque mudam os tempos. E como vos ja dixi do dobre, outrossi o mozdobr' en aquela guisa e per aquela maneira que o meterem en ũa cobra, assi o devem de meter nas outras e na finda, pera ser mais comprimento.

Capitolo quinto: contem dous capitolos

Capitolo primeiro

Os tempos chamam os trobadores quando falan nas canti­gas no tempo passado, ou no presente em que estam, ou no que há-de vir: ca cada um destes tres tempos, ou os dous, ou todos tres nom podem escusar os trobadores que nom falem em eles na cantiga que fazem. Ca se falarem contra si ou contra outrem, convem de falar en alguns destes tempos. E porque se en alguns deles começarem a cantiga, nom convem que depois falem no outro em aquela razom nem per aquel entendimento, se non se falar per outra razom ou en outro entendimento: ca en outra guisa descordaria o entendimento da razom da cantiga. pero como vus ja dixi, poden-o meter no mozdobre, porque dam em ela cada tempo seu entendimento.


Capitolo segundo

Outrossi as cantigas, come o disse, podem fazer em rimas longas ou breves ou en todas mesturadas. E por esto con­vem de vos mostrarmos quaes som as rimas longas ou as breves, pero que todas nom vos podemos mostrar cmpridamente, por­que som muitas e de muitas maneiras: pero que todalas rimas se acabam em estas vogaes, que sejam as prestumeiras, todas som longas, convem a saber: as que se acabam no "a" ou no "o"; apó-lo "a" ou o "o" põe-lo "e" ou qualquer das outras vogaes que ponham en cabo da rima pola prestomeira silaba, ela per si. E as outras rimas todas que se acabam en leteras breves, todas son curtas, por que convem que o trobador que trobar quiser, se começa en longas ou per curtas silabas, que per elas a acabe; pero que poderá meter na cobra das ũas e das outras, se quiser, atanto que, per qual guisa as meter eu ũa cobra, per tal guisa as meta nas outras. Pero convem que, como as meter, que assi as faça rimar longas com longas e curtas com curtas.


Sexto capitolo, em que contem tres capitolos

Capitolo primeiro

Os erros son tantos — e de tantas maneiras — que os homens podem fazer no trobar, que nom posso falar em todos tam compridamente. Pero convem que dos tantos én dê alguns.

Capitolo segundo

Erro acharam Os trobadores que era ũa palavra a que chamarom "caçefetom", que se nom deve meter na cantiga, que é tanto come "palavra fea", e sõa mal na boca. E algunas vezes tange en ela caçorria ou lixo, que nom convem de ser metudo em boa cantiga.


Capitolo terceiro

Outrossi erro é meter na palavra vogal depós vogal. Non entendades mal, que se entende vogal depós vogal se as vogaes som de senhas naturas, mais nom se deve de meter duas vezes, ũa apóS outra, se ũa vogal é maior. Meta-se dela duas vezes, se quìserem fazer silaba: pero alguns as metem na cantiga, dando ao "o" e ao "e” duas consoanças a cada ũa des­tas vogaes. E assi podem meter cada ũa delas duas vezes.

E nom vos posso esto mais declarar, senom como o cada um filhar en seu entendimento.

As leteras vogaes son estas: A, E, I, 0, U.

FINIS

Núcleo de Pesquisas em Informática, Literatura e Lingüística