Title: Memórias

Subtitle: Contendo a biografia do Vice-almirante Luiz da Mota Feo e Torres, a História dos governadores e capitães-generais de Angola, desde 1575 até 1825, e a Descrição geográfica e política dos reinos de Angola e de Benguela
Author: João Carlos Feo

Informações sobre o documento

  • Type: Obra Literária
  • Genders: Biografia; Estudo, dissertação, reflexões
  • Publisher: Fantin, Livreiro, Paris, França
  • Ano de publicação: 1825
  • Langues: Português

    Colabore com nossa biblioteca, faça o login e cadastre as personagens desta obra.


Sources

Dados da Wikipédia (não validados pelos responsáveis da Biblioteca de Literatura Digital)

  • Página da obra: https://pt.wikipedia.org/wiki/Memórias
  • Description: Chama-se memórias ao gênero de literatura em que o narrador conta fatos da sua vida. É tipicamente um gênero do modo narrativo, assim como a novela e o conto, porém essa classificação é predominantemente atribuída a histórias verídicas ou mesmo sim baseadas em fatos. Diferencia-se da biografia pois não se prende a contar a vida de alguém em particular, mas sim narrar as suas lembranças. Em se tratando da comunidade científica, é bastante comum os cientistas e pesquisadores comunicarem-se entre si por meio de cartas, ou mais recentemente, por meio de e-mails, nos quais o gênero predominante é a memória. Ou seja, quando, por exemplo, Charles Darwin escreveu ao senhor Hudson pedindo esclarecimentos sobre os hábitos do Molothrus banarienses, semelhante aos estorninhos (A Origem das espécies por meios da seleção natural. DARWIN, Charles Robert. Tradução de: André Campos Mesquita. pg 112. São paulo: Escala, 20??. Tomo II. Coleção: Grandes obras do pensamento universal) e quando este respondeu, respectivamente, àquele; ambos utilizam o gênero memória. Quando dois pesquisadores trocam informações sobre determinado experimento ou sobre os resultados obtidos em determinado procedimento, eles também utilizam esse gênero. Poderíamos reduzi-lo, então, ao ato de transcrever e comunicar algo que se passou e que, portanto, se lembra; daí, o gênero memória aplicado à finalidade científica. É importante lembrar que tal gênero abre espaço para a opinião de quem escreve em função do assunto tratado, de modo que os interlocutores desse gênero compartilham não apenas a informação fatídica, mas também constroem uma interpretação juntos. Seria uma maneira informal de os cientistas comunicarem-se, visto que esse gênero nem exige tanto rigor quanto um relatório, mas, porém, está calcado no raciocínio típico do método científico. No Brasil temos memorialistas de expressão. Os mais notáveis são Joaquim Nabuco com Minha Formação, Rodrigo Octávio com Minhas Memórias dos Outros, Gilberto Amado com suas Memórias em cinco volumes: História de Minha Infância, Minha Formação no Recife, Viagem ao Rio e Primeira Viagem a Europa, Presença na Política e Depois da Política, João Neves da Fontoura com suas Memória em dois volumes Nos tempos de Borges de Medeiros e A Aliança Liberal e a Revolução de 1930, Afonso Arinos de Melo Franco com suas Memórias em quatro volumes Alma do Tempo, Escalada, Planalto, Alto Mar-Mar Alto, depois reunidos num único volume intitulado Alma do Tempo, Manuel Bandeira com Itinerário de Pasárgada, Paulo Duarte com suas Memórias em 10 volumes, Pedro Nava com sua obra memorialística em seis volumes (Baú de Ossos, Balão Cativo, Chão-de-Ferro, Beira-Mar, Galo-das-Trevas, O Círio Perfeito), Antonio Carlos Villaça com O Nariz do Morto. Outro bom livro desse gênero textual, é As Curvas do Tempo De Memorias De Monteiro Lobato[

Documento disponível para download


Associated historic facts

Ano do início Ano do fim Description
1822 1822 Independência do Brasil
1852 1852 Inauguraçao das primeiras linhas telegráficas do Brasil
1861 1861 Brasil e Inglaterra rompem relações diplomáticas
1861 1861 O Paraguai declara guerra ao Brasil - Solano Lopes invade o Mato Grosso
1824 1824 Política: D. Pedro I outorga a primeira Constituição brasileira
1825 1825 Portugal e Inglaterra reconhecem a independência do Brasil
1808 1808 Brasil Colônia: chegada da família real portuguesa ao Brasil
1808 1808 Economia: abertura dos portos brasileiros ao comércio livre
1815 1815 Brasil Colônia: o Brasil é elevado a Reino Unido de Portugal e Algarves
1823 1823 Conflito: Guerra da Independência na Bahia
1835 1845 Período Regencial: Revolução Farroupilha no Rio Grande do Sul
1831 1831 Abdicação de D. Pedro I
1833 1833 Criação da Companhia Dramática Nacional
1840 1840 Golpe da Maioridade de D. Pedro II
1842 1842 Revolução Liberal em São Paulo e Minas Gerais
1848 1848 Rebelião Praieira em Pernambuco
1850 1850 A Lei Eusébio de Queiroz extingue o tráfico negreiro
1831 1840 Período Regencial no Brasil
1834 1834 Cultura: criação do Teatro Nacional
1838 1838 Fundação do Instituto Histórico e Geográfico
1854 1854 Inauguração da primeira estrada de ferro do Brasil
1831 1838 Período Regencial: Revoltas populares no Período Regencial
1867 1867 Inauguração da estrada de ferro Santos-Jundiaí
1808 1808 Criação da Imprensa Régia no Brasil
1855 1855 Início da carreira literária de Machado de Assis
1848 1848 Publicação do Manifesto Comunista
1857 1857 Cultura: Flaubert publica Madame Bovary
1859 1859 Ciência: Darwin lança A Origem das Espécies
1824 1824 Confederação do Equador
1826 1826 Política: instalação da primeira Assembléia Geral Brasileira
1864 1865 Guerra contra Aguirre, do Uruguai
1834 1834 D. Pedro I morre em Lisboa
1834 1834 Período Regencial: Revolta da Cabanagem, no Pará
1837 1837 Período Regencial: Revolta da Sabinada, na Bahia
1838 1838 Período Regencial: Revolta da Balaiada, no Maranhão
1845 1845 Morse inventa o telégrafo elétrico
1850 1850 Criação da província do Amazonas
1825 1828 Conflito: Guerra Cisplatina
1851 1852 Conflito: Guerra contra Rosas e Oribe
1861 1865 Guerra da Secessão nos Estados Unidos
1867 1867 Publicação de "O Capital", de Carl Marx
1807 1807 Pressão francesa para ruptura da aliança entre Portugal e Inglaterra
1807 1807 Invasão de Portugal por tropas de Napoleão
1808 1808 Cultura: instalação da Biblioteca Real no Hospital da Ordem Terceira do Carmo, Rio de Janeiro
1808 1808 Fundação do Arquivo Nacional
1811 1811 Cultura: inauguração da Biblioteca Real no Rio de Janeiro
1820 1820 Revolução do Porto
1821 1821 Regresso de D. João VI a Portugal
1821 1821 Abolição da Inquisição portuguesa apesar da manutenção da censura
1821 1821 Regulamentação da liberdade de imprensa no Brasil
1828 1828 Criação do Supremo Tribunal
1850 1850 Inauguração da linha de vapores do Rio de Janeiro para a Europa
1861 1861 Rompimento de relações entre Brasil e Inglaterra (Questão Christie)
1808 1808 Economia: permissão da instalação de fábricas e manufaturas no Brasil (1 de abril)
1810 1810 Cultura: decreto de regulamentação do teatro no Brasil
1814 1814 Proibição da posse e leitura das Fábulas de Jean de La Fontaine, traduzidas por Francisco Manuel do Nascimento
1817 1817 Proibição da circulação em Portugal e seus domínios do jornal Correio Braziliense, de Hipólito José da Costa
1818 1818 Compra da biblioteca do arquiteto José da Costa e Silva pelo governo português e sua incorporação à Biblioteca Real (RJ)
1821 1821 Abertura, no Rio de Janeiro, da Tipografia de Moreira Garcez e da Nova Oficina Tipográfica, quebrando o monopólio da Impressão Régia no Brasil
1825 1825 Os governos de Buenos Aires e britânico firmam um tratado contra o tráfico de escravos
1841 1841 Os governos de Buenos Aires e britânico firmam um tratado contra o tráfico de escravos
1841 1841 El Salvador se constitui em república unitária e independente das outras repúblicas da América Central
1843 1843 Começa o estado de sítio de Montevidéu, com as tropas do Governo de Rosas
1852 1852 Conflito: Batalha de Monte Caseros (Argentina). General Urquiza derrota o presidente Rosas
1816 1816 Toda família Bonaparte é afastada da França por lei do governo francês
1827 1827 O Peru, que fazia parte da Colômbia, declara a sua independência
1857 1857 08/03 - ataque incendiário da polícia causa morte de 129 operárias americanas, na fábrica Cotton, em Nova York. Na data, foi instituído o Dia Internacional da Mulher.
1844 1844 Segundo Reinado: D. Pedro II anistia os líderes da revolução de 1842

Commentaires (0)


Do login to comment